O governador eleito no segundo turno das eleições suplementares deste últmo domingo (27) Amazonino Mendes (PDT), foi até o Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) tentar inviabilizar o pagamento do abono dos professores e o aumento salarial dos policiais civis e militares e despesas com obras em execução em todo o Estado.

Amazonino pediu ao presidente do TCE, Ary Moutinho e aos conselheiros da corte que impedissem licitações, convênios e o pagamento de aproximadamente R$ 600 Milhões, entre eles abonos e salários dos servidores públicos, que estivessem com previsão de quitação nos próximos 30 dias.

A tentativa de estancar os recurso para ações previamente aprovadas pelo governo de David Almeida, soou como ato de “imaturidade”, do governador eleito. O próprio governador se prontificou a ir ao TCE, nessa terça feira (29), para expor ao presidente da casa e aos seus conselheiros, que os dados que possui, mostram exatamente o contrário do que foi dito por Amazonino.

Para o governador David Almeida, Amazonino quer dar a impressão que a economia do estado está um “caos” e que ele vai aproveitar para se beneficiar futuramente disso.

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Amazonino quer diminuir despesas do estado.faz uma farredura na secretaria de politicas fundiarias onde la a mais de 80 comicionados 7 a mais que os estatutarios.com salarios acima de 4mil reais e muitos nao aparecem nem no trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here