Na manhã desta segunda-feira (28), 15 horas depois de ter sido eleito o novo governador do Amazonas nas eleições suplementares encerradas ontem, Amazonino Mendes pediu à corte do Tribunal de Contas de Estado (TCE-AM) que bloqueie gastos do governador interino David Almeida.

“O Estado, de há muito, atingiu o limite prudencial. Foram feitos muitos pagamentos voluntários, ou seja, pagamentos que não são essenciais, inapropriados, fundamentais, básicos [como] pagamentos de precatórios. Então pedi um gesto desta corte para sobrestar este comportamento, nos dar uma certa tranquilidade.”

Amazonino disse que David Almeida, que assumiu o cargo com a queda do governador José Melo, tem um comportamento incompatível com a interinidade. Em seu entendimento, David está tomando decisões que podem engessar o futuro governador.

Em uma passagem de meia hora pelo TCE, Amazonino fez declarações e atacou David Almeida. “O governador interino agiu de forma equivocada (no processo político). Ele tinha que ser um magistrado, esperando a soberania popular definir quem deveria governar o Estado. Ele é um governador circunstancial. É um governador por força da vacância inesperada pela cassação do titular” disparou.

O governador eleito reuniu com os conselheiros e formalizou o pedido de suspensões de licitações e outros atos de conta do governador David Almeida. Amazonino chegou ao TCE às 9h acompanhado do vice, Bosco Saraiva (PSDB), de auxiliares mais próximos como o ex-secretário Francisco Deodato e deputados estaduais entre os quais Wanderley Dallas (PMDB), partido do senador Eduardo Braga, que perdeu a eleição ontem.

 

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. O “novo”, governador deveria sim mandar fazer uma auditagem nos pagamentos efetuados pelo “interino”, pois há suspeitas de corrupção nesse pouco tempo de interinidade!!!.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here